[Resenha] A Garota no Trem – Paula Hawkins

Capa a garota no trem

Livro: A Garota no Trem
Autora: Paula Hawkins
Editora: Intrínseca
Páginas: 378
Estrelas: 4/5

Sinopse:

Um thriller psicológico que vai mudar para sempre a maneira como você observa a vida das pessoas ao seu redor.

Todas as manhãs, Rachel pega o trem das 8h04 de Ashbury para Londres. O arrastar trepidante pelos trilhos faz parte de sua rotina. O percurso, que ela conhece de cor, é um hipnotizante passeio de galpões, caixas dágua, pontes e aconchegantes casas.
Em determinado trecho, o trem para no sinal vermelho. E é de lá que Rachel observa diariamente a casa de número 15. Obcecada com seus belos habitantes a quem chama de Jess e Jason , Rachel é capaz de descrever o que imagina ser a vida perfeita do jovem casal. Até testemunhar uma cena chocante, segundos antes de o trem dar um solavanco e seguir viagem. Poucos dias depois, ela descobre que Jess na verdade Megan está desaparecida.
Sem conseguir se manter alheia à situação, ela vai à polícia e conta o que viu. E acaba não só participando diretamente do desenrolar dos acontecimentos, mas também da vida de todos os envolvidos.

Leia mais »

Resenha – legend

legend capaLivro: Legend
Autor: Marie Lu
Editora: Rocco – Jovens Leitores
Páginas: 255
Estrelas: 4/5
Maratona Literária de Inverno: 
Comece ou Termine uma Trilogia + Semana 1 (Distopias)

Sinopse:

O que antes for a o Oeste dos Estados Unidos é agora o lar da República, uma nação perpetuamente em guerra com seus vizinhos. Nascida em uma família de elite em um dos distritos mais ricos da República, a adolescente de quinze anos June, é um prodígio prometida ao sucesso no mais alto círculo militar do país. Nascido nas favelas, o adolescente Day é o criminoso mais desejado do país. Mas sua motivação pode não ser tão maliciosa quanto parece. De mundos muito diferentes, June e Day jamais cruzariam o caminho do outro, até o dia em que o irmão de June, Metias, é assassinado e Day se torna o principal suspeito. Presos em um jogo de gato e rato, Day está correndo para salvar a vida de sua família, enquanto June deseja vingar a morte de Matias. Mas em uma chocante reviravolta, os dois descobrem a verdade sobre o que realmente os uniu, e até onde seu país está disposto a ir para guardar seus segredos.

Resenha:

Escrever sobre um tema tão gasto e comum hoje em dia, é de alguma forma um desafio, claro que, apenas se você deseja inovar sem tirar as características principais.

A autora Marie Lu conseguiu dentro de um universo em tamanha ascensão criar algo simples e inovador, Legend não foge dos cenários distópicos que estamos acostumados, são pessoas comandadas por um governo opressor que detém toda a informação, dessa forma o poder não se dissipa entre as pessoas, é mantido apenas pelo alto escalão do governo, onde a forma de opressão e manipulação da sociedade são descritas de maneira sucinta e espetacular.

Livros narrados em primeira pessoa têm meu amor e carinho especial, pois enquanto eu leio consigo estabelecer relações com esses narrados, e os sentimentos são todos muito intensos de forma que a leitura se torna única.

Legend é narrado por Day, um garoto pobre que não atingiu a pontuação exigida pela República e por isso seria destinado a trabalhar para o governo, mas por algum motivo ele é tido como morto sem estar, e acumula pequenos delitos que enlouquecem os agentes da República que nunca conseguem captura-lo. Day, é um garoto de apenas 15 anos, mas com maturidade de adulto, enxerga as coisas como elas são, não faz rodeios para falar ou demonstrar o que precisa e em meio a tanto sofrimento que ele já passou e continua a passar, o único motivo que o mantém nisso é sua família. Personagem encantador seja nos momentos em que ele narra a história ou não, é impossível não gostar desse “vilão” – mocinho, a todo momento são cenas de ação que ele vive, misturadas com um bom toque analítico dos locais e pessoas, ou seja, existem motivos explicáveis para as coisas que ele faz, ele não é simplesmente procurado e ponto, tudo se encaixa de forma perfeita.

Em paralelo temos também a June, narrando a parte rica da narrativa, onde ela atingiu a pontuação máxima na prova, tem um irmão militar que trabalha na República e está o tempo todo aprontando na faculdade, sempre causando problemas que para mim, eram apenas uma forma de chamar atenção, necessidade de carinho e afeto, devido a certas circunstâncias pela qual passou.

June, é uma personagem intrigante, forte e astuta, ao mesmo tempo rebelde e faz apenas as coisas do seu jeito, uma adolescente convicta.

Entre as distopias que li essa é a que segue de forma mais intacta a maneira de vida que temos e que possui a maior critica social, o tempo todo somos jogados contra reflexões do mundo atual onde vivemos o que nos faz pensar sobre como podemos ser marionetes de quem tem o poder na mão.

Sem dúvida alguma, uma das melhores distopias que li, quero muito ler os próximos livros e espero que mantenham a linha do primeiro.

Sobre a Edição:

 Trabalho lindo da Rocco, a diagramação é muito linda, o tamanho do livro é bem adequado, fora o trabalho acinzentado em todas as folhas que passam uma ideia de desgaste, tudo complementado com a capa que combina texturas, é perfeita essa edição, para melhorar apenas se fosse capa dura.

Resenha – Um Novo Amanhecer (Cinthia Freire)

um novo amanhecer capaLivro: Um Novo Amanhecer
Autor: Cinthia Freire
Editora: Novo Século
Páginas: 373
Estrelas: 4/5

Sinopse:

Giulia está arrasada! seu namoro chegou ao fim e ela não sabe o que fazer. Leo está confuso e com medo, seu tempo está acabando e ele não quer magoar sua namorada. Zyon é um anjo perdido e apesar de saber que está em uma missão na Terra, ele não tem ideia exatamente do que o aguarda. Em uma tarde chuvosa o caminho dos três se cruzam de forma trágica e comovente. UMA GAROTA APAIXONADA UM RAPAZ DOENTE UM ANJO PERDIDO Eles serão capazes de lidar com a força do verdadeiro amor?

UNA 1

Resenha:

Em meio a confusão de sentimentos pelos quais os adolescentes passam, Giulia se vê em uma situação nova, pela qual sabe que vai ser difícil até conseguir se adaptar. Ela precisa mudar de escola e com isso encarar todas as mudanças que acontecerão em sua vida.  No primeiro dia de aula, procurando sua turma em meio aquela confusão de alunos e listas, um rapaz, lindo, simpático e com sorriso encantador lhe oferece ajuda, ele é Léo, que ela ainda não sabe se tratar do amor da sua vida.

Os dois estabelecem uma amizade forte e verdadeira, e com isso Giulia se sente protegida em meio aquele ambiente novo, do qual não conhece as pessoas, não tem amizades e ainda fica com receio de como deve se comportar, por isso, Léo com seu jeito descolado e todo amigo das pessoas consegue inserir Giulia nos grupos de amigos, fazer com que ela se sinta em casa, e essa proximidade toda dos dois é muito fofa, a cada linha descrita pela Cinthia era um suspiro.

Toda garota sonha com um amor verdadeiro na adolescência, algo que a tire de orbita e que cada loucura valha intensamente a pena, pois é,  um novo amanhecer é esse tipo de livro, que te faz voltar no tempo e reviver momentos da vida, passagens importantes que o tempo muitas vezes deixa no esquecimento.

Meu coração bateu muito forte quando finalmente a Giulia e o Léo ficaram juntos, igual quando assistimos aquele filme romântico maravilhoso onde não existe outra alternativa o casal tem que ficar junto, e por mais clichê que isso pareça, é o melhor, sempre a melhor opção, e esses dois foram feitos um para o outro, me fizeram sorrir, chorar, suspirar e muitas vezes viajar e lembrar de como era quando eu era adolescente.

Infelizmente nem tudo são flores, os romances não são feitos apenas de coisas boas, pelo menos não os bons romances, porque para mim um livro desse estilo para ser bom tem que de alguma forma ter relação com a realidade, e nesse ponto entra o sofrimento, nesse caso em específico a Cinthia pegou muito pesado com os leitores, sério, engolir o choro fez parte de praticamente todo o livro, são cenas muito pesadas, ainda mais se você analisar o contexto, adolescentes, com tanta vida, tanta coisa para viver e passando por coisas tão fortes, olha, se a lição desse livro não fosse provar a força do amor verdadeiro, eu teria abandonado, porque é muita tristeza em poucas páginas.

Nesse intermédio Zyon entra na história de forma sucinta e aos poucos ganha seu espaço na narrativa e no nosso coração, ele é outro fofo, compreensivo, amoroso, cativante, lindo e todos os adjetivos possíveis a um personagem.

O que eu posso dizer é que a queria Cinthia narrou com maestria uma bela história de amor, da qual muitas pessoas deveriam ter o privilegio de conhecer, pois é uma obra muito bem escrita e tem todos os elementos de um bom romance.

Ainda fico indecisa quanto ao final, mas amei cada linha, e queria agradecer muito a Cinthia por proporcionar ao leitor algo tão maravilhoso.

“O que é importante vem da simplicidade do coração. Não precisa exibir, a gente sente.”

“Sinto ciúmes de tudo o que é meu e de tudo o que eu acho que deveria ser.”

UNA 3

Sobre a Edição:

Edição muito satisfatória do livro, a capa é bonita e tem muita relação com o conteúdo, a diagramação também é muito boa, acho que merece algo mais trabalhado, mas é uma boa edição.

Resenha – Crônicas de Silbery – O Segredo do Bosque

capa crônicas de silberyLivro: Crônicas de Silbery – O Segredo do Bosque
Autor:  Priscila M. Palmeira
Editora: Editora Multifoco
Páginas: 212
Estrelas: 4/5

Sinopse:

Quando quatro irmãs perdem a casa em que moram e vão morar com a tia numa suntuosa propriedade em outro estado, nunca poderiam imaginar que no bosque ao fundo da casa há uma passagem para um mundo paralelo onde criaturas do bem, subjugadas há duas décadas por Yanna, a senhora das sombras, acreditam que elas são as suas salvadoras mencionadas na profecia. No entanto as meninas não compartilham da mesma ideia e quando estão tentando voltar para casa Milca é raptada pela grande coruja branca, Amal, e levada para o castelo de Yanna e numa discussão Joana corre para a floresta e se perde. Vera não vê saída a não ser recorrer ao sábio da montanha e pedir ajuda. No Final, a batalha entre o bem e o mal será inevitável.

Resenha:

O livro é muito interessante desde as primeiras páginas, porque vamos ser apresentados a uma família grande, de 5 mulheres, são elas: a mãe (Raquel) e as 4 filhas – Vera, Joana, Sofia e Milca.

Após a perca da casa devido ao acidente, as meninas vão morar com a Tia Gertrudes, para que a mãe possa continuar trabalhando bastante para guardar dinheiro e traze-las de volta, é então no jardim da casa dessa tia que após uma teimosia de Joana as 4 meninas são apresentadas ao mundo fantástico de Quitera.

Desse ponto em diante o livro é totalmente fantasia, vamos conhecer várias tipos de personagens desse mundo fantástico, como bruxa, fadas, “sereias”, anões, e vários outros tipos de criaturas. Por conta dessa diversidade e mistura entre humanos e seres com poderes eu tive pequenas lembranças de Harry Potter, não em relação ao conteúdo, narrativa e nada do tipo, apenas que é interessante ler histórias dessa forma, onde são criados mundos paralelos, com suas regras, seu povo, vidas que acontecem simultaneamente a vida humana, é fascinante.

Em as Crômicas de Silbery, as 4 irmãs estavam predestinadas, digamos assim, a salvar aquele mundo fantástico, mesmo não compreendendo e acreditando, elas foram atrás da bruxa Yanna, que é a responsável por tudo de ruim que aconteceu aquele povo.

Mesmo a narrativa dos fatos e cenários ter sido muito breve, é possível imaginar de forma satisfatória tanto os ambientes pelos quais as garotas passaram quanto às cenas de ação.

Eu gostaria que o livro fosse maior, de verdade, penso que com maiores detalhes poderíamos ter uma visão exata do que a autora pensou no momento que descreveu aquelas cenas, e seria mágico, porque eu adoro literatura fantástica, e todos esses “seres” e cenários diferentes fazem a minha mente viajar, por isso, uma maior riqueza de detalhes tornaria a experiência de ler, perfeita.

Mas, de toda forma, é um livro de muita qualidade, a autora mostra que criou totalmente um outro mundo, onde todos os pontos de encaixam de forma perfeita, prendendo o leitor do começo ao fim, fora que o livro não teve revisão (segundo descrição técnica do livro)  e eu não me lembro de encontrar 1 erro sequer, acreditam? Fiquei muito feliz com isso e parabéns a autora por tamanho cuidado em escrever a sua obra.

O momento da batalha final me lembrou muito a batalha de xadrez do HP e a pedra filosofal, mesmo sem relação alguma de personagens, cenários, etc, eu senti a mesma tensão ao ler, aquela coisa de ficar pensando o que será que vai acontecer, cada movimento é muito importante e precisa ser dado com muita cautela, então foi uma experiência sensacional, eu como fã incondicional de HP, vibrei com a narrativa, e foi quase como reviver aqueles momentos únicos de ler Harry *.*. Apenas para vocês conseguirem ter uma ideia da dimensão do tipo de fantasia, leiam:

“Todos os elfos, centauros e anões e as criaturas das florestas estavam ali, naquela batalha, que custaria a vida de muitos.”

Um livro que mistura seres fantásticos dessa forma tem todo meu respeito e admiração.

Recomendo muito esse livro para quem gosta do estilo, tenho certeza que será uma leitura rápida, prazerosa e muito agradável.

Sobre a Edição:

A edição é bem simples, mas com a diagramação muito boa e mesmo sem revisão a narrativa e escrita estão perfeitas, muito boas mesmo.

Resenha – De Coração para Coração (Lurlene McDaniel)

capa de coração para coraçãoLivro: De Coração Para Coração
Autor:  Lurlene McDaniel
Editora: Novo Conceito
Páginas: 207
Estrelas: 4/5

Sinopse:

Elowyn e Kassey são grandes amigas, que dividem tudo. Mas uma coisa Elowyn não contou para Kassey: ao tirar a carteira de motorista, ela marcou a opção “doadora de órgãos”. Kassey descobre esse detalhe da vida da amiga da maneira mais trágica – quando o desejo de Elowyn está prestes a ser atendido.
Arabeth nunca teve a sorte de ter uma melhor amiga. Com o coração doente, ela leva uma vida protegida de tudo e de todos. Até que, aos 16 anos, recebe o telefonema que tanto esperava — mas inicialmente ela e sua mãe não sabem a quem devem agradecer. Quando os mundos dessas três meninas e de suas famílias se cruzam, suas vidas se transformam de maneira nunca imaginada. Kassey, especialmente, encara os fatos como uma forma de manter viva a memória de sua querida amiga. Ela passa a compartilhar da nova vida de Arabeth, ao mesmo tempo em que ajuda a aliviar o sofrimento da família de Elowyn e a compreender a sua própria dor.

Resenha:

Elowyn e Kassey são grandes amigas, do tipo, inseparáveis, elas se conheceram de maneira diferente, dentro de um hospital, e esse encontro mudou para sempre a vida das duas, pois desse momento em diante, tornaram-se melhores amigas.

No Ensino Médio Elowyn começa a namorar e Kassey se sente um pouco abandonada pela amiga, principalmente porque Elowyn e Wyatt definem o típico casal apaixonado, que hora estão se amando loucamente, hora brigando como se não suportassem um ao outro, ou seja, um casal adolescente, típico.

Kassey ficava no meio de toda essa confusão de sentimentos e mesmo se sentindo largada, ajudava com bons conselhos e torcia para que os dois ficassem bem, até que um dia Elowyn encontra seu namorado ao lado de fora do cinema com outra garota, faz um escândalo e não ouve explicação alguma, apenas sai do local chorando muito e vai dirigir seu carro para tentar pensar sobre o que acabou de ver, ela liga para Kassey conta tudo e esse se torna o último momento em que elas conseguiram se falar.

A vida de muitas pessoas muda desse momento em diante, o livro nos leva por diversos caminhos entre tristeza, amor, ternura, compaixão, angustia, enfim, sentimentos humanos que muitas vezes pensamos que somente os adultos podem sentir, como a dor da perda, e infelizmente não são bem assim.

Paralela a história de Elowyn a narrativa nos levará até o mundo de Arabeth, uma adolescente que precisa com urgência de um transplante de coração. Ela e a mãe moram em uma pousada, seu pai morreu, vítima da guerra, e mesmo sem amigos ela ainda mantem a esperança de um dia poder ter uma vida normal, ser feliz e poder ter amigos de verdade.

A vida desses personagens será interligada de uma maneira muito forte e ao mesmo tempo linda, como eu disse, muitas vezes pensamos que somente adultos passam por determinados momentos ou situações, mas a verdade é que a dor, doenças e perca não escolhe a idade da pessoa, simplesmente vivemos, e cada pessoa passa por aquilo que tem que passar, independente se já viveu o suficiente (segundo a nossa percepção) ou não.

A autora nos faz viajar dentro desse mundo de perca e renascimento, alguns morrem, outros vivem, muito se aprende e a vida segue, muitas vezes não é fácil, mas tudo tem um propósito de existir.

Não consegui chorar com esse livro, mas segurei muito, pois é sempre difícil ler sobre temas fortes, eles mexem com os nossos sentimentos e muitas vezes por situações das quais vivemos. Esse livro eu comprei em uma promoção e nunca tinha ouvido falar sobre ele ou sobre a autora, mas foi uma surpresa muito boa, e acho que se as pessoas soubessem mais sobre ele, estaria entre os mais vendidos, com certeza.

Narrativa incrível, estrutura de personagens muito boas, amarração das histórias de forma perfeita e conteúdo inquestionável.

Sobre a Edição:

Capa simples, porém muito bonita, com relevo nos coração o que dá um charme na edição, folhas ótimas, mas o melhor de tudo é a diagramação perfeita do livro e revisão muito boa.