Entrevista – Raquel Machado (Vingança Mortal)

Olá leitores, tudo bem?

Hoje vamos conhecer um pouco mais da autora Raquel Machado que escreveu o maravilhoso Vingança Mortal (Link – Resenha).

Vamos lá?

Raquel Machado

Raquel Machado é formada em Ciência da Computação, e participa do mundo das artes desde criança, sendo a literatura uma de suas maiores paixões.

Há anos em meio à blogosfera literária e com histórias sendo escritas em rascunhos, decidiu tirar do baú suas ideias e compartilhar com o mundo.

A autora reside no sul do Brasil, na cidade de Caxias do Sul/RS. Mora com os pais, quatro cachorros e uma estante cheia de livros.


1) Raquel, como foi escrever Vingança Mortal? De onde surgiu tamanha inspiração?
Para mim escrever minhas histórias é sempre uma grande diversão, é como se estivesse dentro de um filme vivendo com os personagens. A inspiração nossa nem me lembro, escrevi o Vingança Mortal em 2001, isso já fazem alguns anos, a única coisa que me lembro é que naquela época eu gostava muito de ler os livros do Sidney Sheldon acho que me inspirei um pouco nas suas histórias de suspense para criar a minha.

2) Os personagens são sensacionais, como você desenvolveu cada um? Teve uma inspiração e eles simplesmente surgiram na sua mente, ou com o tempo você foi traçando a personalidade deles?
Os personagens são bem diferentes entre si, sempre tive o costume de descrever minhas histórias no colegial, sim porque na época que escrevi estava ainda no ensino médio, inventar personalidades bem distintas para cada personagem. E no caso com o decorrer da história eles foram também crescendo e amadurecendo naquilo que eu tinha proposto desenvolvendo suas personalidades.

3) A personalidade dos personagens, as festas, os cenários e etc de alguma forma foram inspirados na sua vida, amigos e situações que viveu ou presenciou?
Como eu moro no RS, o cenário sim foi inspirado nos locais daqui, sempre que vou a praia passo por Lageado Grande-RS (que é o local onde a histórica acontece), então o cenário foi inspirado em minhas idas para lá. Já os personagens e situações foram frutos da minha imaginação mesmo, infelizmente ou felizmente (em alguns casos), não conhece ninguém parecido não. Porém algumas situações tem mum fundo verdadeiro como na parte dos Javalis (quem ler o livro vai entender), eles realmente existem por aqui.

4) Lançar um livro independente é um desafio muito grande? Pode nos contar sobre?
Escrevo desde criança e sempre soube que publicar um livro não seria tão fácil, por isso acho que posterguei isso todos esses anos. A minha história até é engraçada, no início de 2014 uma amiga minha disse que a Amazon estava lançando autores independentes, e quem quisesse poderia publicar seus textos de forma gratuita no site deles, para os leitores baixarem. Achei essa ideia muito legal, e para mim naquela época se uma pessoa lesse meu texto já ficaria feliz, então decidi tentar. Porém ao pesquisar vi que a Amazon tinha uma plataforma impressa também, então pensei porque não? Poderia ter meu livro em minhas mãos também, em seguida veio a ideia do lançamento aqui na cidade, as feiras dos livros, as parcerias com blogs e assim por diante.

5) Apesar de não ter a divulgação que uma editora pode proporcionar o seu livro está bem cada vez mais presente na mão de blogueiros (as), como você explica esse sucesso?
Muita divulgação e persistência. Eu adoro os blogueiros, e falo isso sinceramente, pois também sou uma. Acho que são as pessoas mais receptivas a novas leituras, e que realmente fazem nossos livros chegarem a várias pessoas. Estou extremamente feliz e emocionada por todo o apoio que tenho recebido de todos, com certeza essa é uma das minhas grandes vitórias.

6) Ter Vingança Mortal publicado é um sonho que se tornou realidade? Você sempre quis ser escritora? 
Com certeza! Nem posso descrever a sensação que tive quando peguei meu livro nas mãos na primeira vez, é como o nascimento de um filho. Na verdade eu sempre fui escritora, não é nem uma questão de querer, sou aquele tipo de pessoa que adora escrever sobre tudo e sobre todos, e quando as ideias vem, trato de colocá-las no papel.

7) Você possui algum método ou ritual para escrever? 
Tenho até vergonha de dizer isso, mas sou meio desorganizada nessa parte da minha vida. Rsrs. Escrevo quando vêm a inspiração e quando tenho tempo, mas pretendo mudar isso tornando uma rotina esse ano, anotando minhas ideias e com certeza produzindo mais histórias que espero que agrade a todos.

8) Além dos encontros literários que eu vejo que você participa, qual outra forma de divulgar a sua obra?
Atualmente tenho usado muito as redes sociais: minha página no facebook (deixo o link para quem quiser curtir, vamos lá gente é bem rapidinho e quem sabe você encontra algo que te interessa por lá: FanPage), o skoob no qual posto minhas resenhas e sempre estou em busca de novos leitores (Skoob – Vingança Mortal), os blogs com quem tenho fechado várias parcerias e tem me dado um retorno muito gratificante. Além da impressa local, tive muita sorte, pois consegui abertura nas rádios e jornais locais o que sempre é muito bom.

9) Podemos esperar novas obras magníficas escritas por Raquel Machado? Que de preferência tenham umas 400 páginas de muito suspense? Hehe 
Huhauhaua. Com certeza, como disse escrevo desde criança então tenho algumas cartas na manga. Além de claro sempre estar borbulhando de novas ideias. Esse ano pretendo lançar um novo livro um pouco diferente: será uma coletânea de contos relacionados ao dia-a-dia das pessoas, onde o próprio leitor poderá escolher o final, como um livro de RPG. Nele teremos perguntas como: Será que caso ou compro uma bicicleta? Será que ligo no dia seguinte ou não? Sigo a dieta ou me acabo nos doces? Se chamará Histórias do Povo e estou muito entusiasmada com a ideia e espero que todos gostem.

10) Quais são suas inspirações literários? Autores nacionais e internacionais?
Nossa minha lista é imensa. Como sempre digo além de escritora sou uma grande leitora (acho isso fundamental). Como sou blogueira também acabo tendo contato com diversos autores e estilos diferentes vou citar alguns: Stephen King, Sidney Sheldon, Rick Riordan, Suzanne Collins, Meg Cabot, Julia Quinn, Nora Roberts. Além dos nacionais é claro: Marina Carvalho, Paula Pimenta, Carina Rissi, Pedro Guerra, Pedro Eckman, Marson Alquati.

11) Qual mensagem você deixaria aos seus leitores (fãs, como eu) e aos futuros escritores?
Meu mais profundo agradecimento. Acreditem para um escritor o maior presente é ver seu leitor satisfeito e feliz, sinto-me honrada por ter meu livro sendo apreciado por tantas pessoas. A felicidade é imensa e com certeza me faz ter mais vontade de seguir em frente. Para os futuros escritores, não desistam do seu sonho, leiam e escrevam muito em todo lugar e sobre qualquer coisa. A arte da literatura deve correr 24horas em nossas veias, o sucesso será apenas o resultado final de tudo isso.


Espero que tenham gostado da entrevista tanto quanto eu, é sempre muito bom conhecer mais sobre os autores que gostamos.

Confiram as novidades ↓

Vingança Mortal capa

 FanPage

Site – Link

Skoob

Entre em contato com a Raquel para comprar o seu exemplar autografado, e leia essa história maravilhosa.

Beijnho

Entrevista – Angélica Pina (Quilômetros de Saudade)

Oi Pessoal, tudo bem?

Nossa entrevista de hoje é com a querida Angélica Pina, autora do livro Quilômetros de Saudade (Resenha – Link) .

O lançamento do livro é pela editora Giostri.

5Apaixonada pela língua portuguesa e pelas palavras desde criança, leitora voraz, é publicitária por formação, graduada pela PUC-MG.

Natural de Belo Horizonte – MG, em 2011 a autora optou por dedicar-se exclusivamente à maternidade.

Em 2013, ainda em casa com o filho, passou a fazer resenhas para um site literário, o que lhe rendeu vários incentivos para que escrevesse seu próprio livro.

Quilômetros de saudade é o seu primeiro romance, publicado pela Giostri Editora.


1) Angélica, como surgiu a inspiração para escrever esse livro maravilhoso?

Obrigadaaaa pelo “maravilhoso”, fico toda boba! Então, na verdade, quando comecei a escrever não fazia ideia de quais rumos a história ia tomar, foi acontecendo à medida que fui escrevendo. Durante o processo, tudo serve de inspiração! Uma conversa que escuto, um caso que alguém já me contou, uma situação que eu mesma vivi… na hora do banho, dirigindo, o tempo todo ideias vão surgindo.

 

2) Com tão poucas páginas, mas uma história com personagens bem estruturados, como você fez para desenvolvê-los?
Uma das primeiras coisas que fiz foi “traçar” como seria o perfil de cada personagem, com a idade, o tipo físico, características marcantes da personalidade, essas coisas. Trabalhava o tempo todo com duas páginas abertas, a da história e a que tinha os detalhes que não podia esquecer.

 

3) Você possui algum método/ ritual para escrever?
Acredita que não? Como tenho um filho de 3 anos (na época que escrevi Quilômetros de saudade ele estava com 2), acabei me acostumando a ler e a escrever com barulho/bagunça. hahahaha…  Para não dizer que não tenho minhas manias, cito algumas coisas que sempre faço: consultar o tempo todo um dicionário de sinônimos para não repetir palavras, conferir sempre um calendário para a história ficar bem linear e ir anotando na página de “detalhes” que citei na pergunta 2 as ideias que surgem e que virão posteriormente na história.

 

4) Como foi o processo de lançamento do livro? Foi fácil conseguir uma editora que acreditasse no potencial do seu livro?
Para autores desconhecidos, nunca é fácil! Pesquisei durante bastante tempo como era o processo de buscar uma editora e fiz uma lista de todas que podia contatar. Mandei e-mail para várias perguntando se estavam recebendo originais e muitas sequer responderam. Outras, pela sinopse já responderam com um “não”. Quando entrei em contato com a minha editora, enviei as 20 primeiras páginas do livro, conforme orientação que consta no site deles. No dia seguinte recebi a resposta de que era para enviar a obra completa. Quinze dias depois recebi e-mail do meu editor propondo que fechássemos contrato. Conclusão: não pensei duas vezes!!!

 

5) Ser escritora sempre foi um sonho?
Talvez sempre tenha sido um dos meus sonhos! hahaha… Já quis ser tanta coisa! Quis ser atleta profissional, fiz natação, vôlei, futebol, tae kwon do e a cada esporte pensava que tinha encontrado aquilo que queria fazer para sempre. Quis ser atriz, fiz curso de teatro por dois anos e adorei, mas acabei desistindo. Fiz faculdade de Publicidade e propaganda e sonhei em trabalhar em uma grande agência, mas ainda não rolou. Pelo menos o sonho de ser escritora se realizou e atualmente tudo que mais quero da vida é seguir por esse caminho!

 

6) Hoje em dia com seu livro lançado, várias pessoas conhecendo o romance da Dani e do Fê, como é ter toda essa aceitação dos leitores?
Apenas dois meses se passaram do lançamento e muita gente ainda não conhece o livro, mas receber o retorno de quem já leu e curtiu faz meus dias muito mais felizes e coloridos! Simplesmente AMO receber mensagens de leitores dando a opinião sobre a história! Principalmente, porque tenho recebido muitos feedbacks positivos! hehehe… Não tem coisa mais gratificante do que saber que alguém se identificou com algum personagem, aprendeu algo ou pelo menos se divertiu durante a leitura!  

 

7) Os personagens do livro são inspirados na sua vida? Seus amigos? Ou pessoas a sua volta?
Sim, um pouco de cada. A protagonista, por exemplo, tem o gosto musical parecido com o meu, temos o mesmo filme favorito e algumas expressões que ela fala são bem minhas. Inclusive algumas amigas que me conhecem bem disseram que enquanto liam “ouviam” minha voz nas falas da Dani. hahaha… Assim como com os outros personagens, fui pegando um pouquinho das pessoas que conheço e emprestando a eles.

 

8) Quais suas inspirações literárias nacionais e internacionais?
Não que tenham exatamente o mesmo estilo que escrevo, mas duas autoras que são do tipo “quando eu crescer quero escrever como elas”:  Carina Rissi (nacional) e Sophie Kinsella (internacional).

 

9) Atualmente como é o processo de divulgação do seu livro?
Esse é definitivamente o maior trabalho. Escrever um livro não é tão difícil como divulgá-lo. As redes sociais são, sem dúvida, o principal foco. Grupos de leitores no Facebook, Instagram, Twitter, tenho tentado contar em todo lugar sobre Quilômetros de saudade. Os blogs literários são grandes parceiros e têm papel fundamental no processo. Enfim, ainda estou no início e não medirei esforços nessa divulgação!

 

10) Quais problemas o autor nacional tem que enfrentar até de fato começar a ver os frutos do seu trabalho?
Parece coisa de antigamente, mas ainda existem muitos leitores que têm preconceito com relação a livros nacionais e autores contemporâneos. Infelizmente, o preço também é algo que incomoda muita gente, que acha caro pagar trinta reais em um livro. Há também aqueles que não enxergam o “ser escritor” como uma profissão e sim como um hobby – tudo bem que geralmente quem trabalha com isso é porque ama o que faz, mas isso não quer dizer que quando estamos escrevendo não estamos trabalhando. São vários problemas, mas qual profissão não tem suas dificuldades?

 

11) Podemos esperar mais livros perfeitos em breve?
Mais uma pergunta que me arrancou um sorriso e me fez ficar bobona: do fundo do coração, prometo me esforçar para que sejam perfeitos! Quanto ao “em breve”… bem, se dependesse de mim já lançaria outro! hahahaha… Só posso dizer que já tenho um segundo livro pronto, que é a história da Gabi, irmã do Fernando. Não é exatamente uma continuação de Quilômetros de saudade, que foi escrito como livro único e tem final. Mas a Gabriele meio que exigiu de mim que sua história também fosse contada e acabei não resistindo! Sendo assim, se Deus quiser, em breve terei um novo livro lançado.

 

 12) Qual mensagem você gostaria de deixar aos seus fãs e aos futuros escritores da nossa literatura?
Fãs? Nem sei dizer se tenho algum fã. Ok, acho que minha mãe é minha fã sim. hahahaha… Agora sério, a cada um que leu e gostou do meu livro, toda minha gratidão! Juro que quando alguém me diz que curtiu meu trabalho dou pulinhos de alegria e quase morro de tanto amor. Aos futuros escritores: leiam muuuito, de tudo, passando por todos os gêneros; aceitem críticas e entendam que é impossível agradar todo mundo; confiem em seu potencial e coloquem seu coração e sua alma no que está sendo escrito. E, por fim, muita paciência e perseverança sempre!

 

Amei cada pergunta e espero de coração que gostem de conhecer mais um pouquinho sobre mim e meu trabalho! Quem quiser saber mais, dá uma olhadinha no meu site que tem bastante informação: Site

Beijos, com carinho!


E ai, gostaram? Eu amei essa entrevista ♥

Fiquem por dentro das novidades 😉

quilometros de saudadeInstagram – @angelicamspina

Site – Link

FanPage

Entre em contato com ela e adquira seu exemplar.

Entrevista – Taísa Luciano (Florita)

Oi gente, tudo bem?

Hoje vamos conhecer um pouco mais da jovem, fofa e linda Taísa Luciano, autora do livro Florita.

A Taísa tem apenas 18 anos e escreveu Florita quando tinha entre 13 e 15 anos. O lançamento do livro foi feito pela editora All Print .

Florita

Taísa Luciano é uma garota de 18 anos, muito alegre e sonhadora. Nasceu em Rio Claro/SP, onde reside até hoje. Muito eclética, faz da leitura e escrita seus hobbies preferidos. Florita: uma vida, um amor é o primeiro de muitos livros que pretende escrever. No futuro, quer ser escritora e atriz.


1) Taísa como surgiu a ideia para escrever o livro Florita?
Foi num trabalho de português, onde precisávamos escrever algumas páginas de um diário de uma personagem inventada por nós.

2) Você escreveu o livro  quando tinha entre 13 e 15 anos, como foi esse processo?
A ideia do livro simplesmente surgiu? Quando eu criei as personagens para o diário, decidi escrever uma história mais desenvolvida, mas somente aos 15 anos consegui dar um fim melhor estruturado.

3) Aos 13 você começou a escrever Florita, você queria ser escritora ou era mais uma “brincadeira” na época?Acho que foi mais uma diversão pra mim, decidi que queria ser escritora lá pelos 15, 16 mesmo rsr

4) Como é aos 17 anos ter um livro publicado?
É bem legal!!! As pessoas as vezes duvidam que fui eu que escrevi, mas depois dão um grande apoio, e tem sido maravilhoso! 

5) Qual a relação dos personagens do livro com a sua vida?
São baseados em momentos, experiências e /ou pessoas ao seu redor? Acho que são baseados mais em esteriótipos humanos do que em pessoas particulares! Em todo círculo de convivência existe alguém amoroso, alguém engraçado, alguém chato… Se fosse pra me comparar a algum personagem, eu creio que seria a Marjorie! Desastrada e espontânea rsrs 

6) Você encontrou dificuldades para publicar o seu livro? Como foi essa experiência?
Ah, no começo eu fiz tudo sozinha, como procurar editoras sem o conhecimento dos meus pais! Só contei pra eles quando 3 editoras o aceitaram e eu escolhi a All Print! Depois ficou tudo mais fácil, eles fizeram um bom trabalho para pública-lo!! Acho que o mais difícil é a divulgação! As pessoas não estão muito acostumadas a ler livros de autores nacionais “desconhecidos”, mas blogs e IGs literários tem ajudado bastante! 

7) Como você trabalha para divulgar o seu livro?
Eu divulgo muito em redes sociais: Facebook, Twitter e Instagram! E tem dado certo! 

8) Conte-nos como foi a sua primeira sessão de autógrafos, qual a sensação?
Foi o maximooooooo! Ter todas aquelas pessoas e saber que estão lá para te prestigiar é uma sensação ótima! A minha primeira sessão foi em Rio Claro-SP, a segunda no Rio e a terceira em SP! 

9) Podemos esperar novos livros, quem sabe um Florita 2?
Sim, logo vai sair meu segundo: Era Uma Vez Um Romance Carioca, e já estou trabalhando num terceiro, que será um livro policial! Sobre Florita 2 por enquanto não tenho ideia rsrs 

10) O que você diria aos seus leitores e quem sabe futuros escritores?
Para meus leitores: Obrigada!!! Vocês são os melhores kkkkk E para futuros escritores: Leiam bastante, prestam atenção em tudo ao redor e nunca desistam, porque uma hora dá certo!!!


Florita capaFica por dentro das novidades da Taísa, dos novos livros, sessões de autógrafos, promoções, sorteios, etc.

FanPage

Instagram: @tataluciano23

Entra em contato com ela e compra o seu livro autografado.

Entrevista – Bárbara Negrão (Labirinto de Espelhos)

Oi Pessoal, tudo bem??

Vamos começar o dia com algo muito legal, entrevista!

Essa  é a primeira entrevista que faço então, peço a compreensão de vocês, caso achem as perguntas bobas, podem me dar dicas que eu vou adorar.

A Entrevista de hoje é com a Bárbara Negrão, autora do livro Labirinto de Espelhos.

Bárbara Negrão

Bárbara Negrão nasceu em 1986, em Ibaiti, Paraná. Mora atualmente com seus pais em São Paulo, Capital. Escreve pequenas histórias e contos desde os 8 anos de idade, mas somente agora resolveu realizar seu sonho e lançar seu primeiro livro, Labirinto de Espelhos.

 

 

 

 


1)Como surgiu a ideia para escrever o livro Labirinto de Espelhos?
A ideia surgiu aos poucos. Não posso falar que nasceu pronta não. Quem me dera ter sonhado com essa história maravilhosa que esta conquistando tantos leitores assim em uma única noite. Desde que comecei a escrevê-la, ela mudou completamente. Aos poucos, conforme fui escrevendo e criando personagens e ambientes, ela foi ganhando forma até que ficou exatamente como eu gostaria.  
 
2)Quando a sua obra ficou pronta? Foi fácil conseguir uma editora que publicasse o seu livro?
Mais ou menos. Assim que coloquei o ponto final no ultimo capítulo pensei : “E agora?” Pois não entendia nada de como esse mundo de publicação de livros funcionava. Então fui perguntar para o senhor todo poderoso GOOGLE…hehehehe. Nele tem muitos sites que te ajudam. Inclusive foi lá que tive meu primeiro contato com a fofa da Samanta Holtz, que já havia colocado na net algumas formas de ajudar autores iniciantes. Nem imaginei que um dia faria parte da mesma editora que ela.
Mandei meu livro para 5 editoras que tinham mais ou menos o mesmo estilo do meu. Duas me responderam e uma delas foi a Novo Século. E o resto vocês já sabem. Livro publicado na Bienal de 2014.
 
3)Qual seu processo de criação? Existe algum tipo de “ritual” para escrever?
Anotações e mais anotações. Anoto tudo o que vejo e sinto. Tenho caixas  e mais caixas de anotações guardadas em meu quarto. Não sigo nenhuma ordem para escrever. Começo escrevendo aqueles momentos mais emocionantes, aqueles que realmente são os pontos altos do livro. E partindo deles vou escrevendo a história ao redor. Minhas ideias não nascem prontas. Tenho que trabalhar cada uma delas para que tudo no final tenha um sentido para acontecer.  
 
4) Os personagens são de alguma forma inspirados em pessoas que você conhece?
Definitivamente não. No máximo o nome de um personagem ou outro. Mas não gosto de me basear em pessoas reais ao escrever, ou quando tiver que me desfazer do personagem ou machuca-lo para que a história siga do modo como eu quero, vou ficar com dó e pensar na pessoa que eu conheço. Rs…
 
5) Como tem trabalhado na divulgação do seu livro?
Criei a fanpage no facebook, onde estou diariamente postando muitas novidades. Criei um skoob para mim. Pois confesso que antes não tinha um. E quando fui criar um para o livro, me surpreendi, pois uma leitora já havia o colocado lá antes de mim. 
Entro todos os dias no skoob também para responder à todos.
Criei o instagran do livro. (@labirinto_novoseculo) onde posto todas as novidades e entro varias vezes por dia.
Outro modo  que uso para divulgar é fazendo parceria com blogs, pois eles são essenciais para nos ajudar nesta parte da divulgação.
E converso muito com todos os leitores que me procuram. Seja para perguntar onde comprar o livro ou somente para falar sobre a história, pois já leram e querem me falar o que acharam.
6) Aos poucos os autores nacionais ganham mais e mais espaço, qual a sensação de fazer parte desse cenário?
Maravilhosa! Finalmente os autores daqui estão ganhando seu merecido espaço. Tem muito escritor que dá de dez a zero em muito livro de fora. E que cada dia mais a literatura brasileira seja valorizada.
 
7) Quais são as suas inspirações literárias? Nacionais e internacionais?
Hun…que dificil. Eu sempre falo do Dan Brown. Pois seus livros tem muita ação. E autores brasileiros gosto de falar do André Vianco, pois amo de paixão livros de ficção.
 
8) Podemos esperar mais livros da autora Bárbara Negrão?
Com certeza. Devem esperar. Labirinto de Espelhos é uma trilogia. Então pretendo lançar a continuação assim que a editora der o OK.
 
9) Você tinha o sonho de ser escritora?
Na verdade sempre tive o sonho de ser veterinária. Rs… Mas esse eu realizei. E como sempre escrevi e sempre li muito. Não tinha como fugir de tentar ser escritora com todas essas ideias transbordando de minha cabeça todos os dias.
 
10)Qual o seu recado para os leitores e futuros escritores?
Persistam. É difícil, é complicado e vocês vão ouvir varias vezes a palavra não. Mas não deixem de correr atrás do seu sonho. Acreditem que um dia todo esse trabalho vai valer a pena. Digo isso por experiência própria. 

E ai curtiram? Espero que sim!

labirinto de espelhos

Acompanhem o trabalho lindo da Bárbara, seguem as redes sociais:

FanPage – Labirinto de Espelhos

IG – @labirinto_novoseculo

E fiquem de olho nos sites, pois sempre está com promoção, principalmente na Saraiva, confere e já garente o seu exemplar:

Saraiva – Labirinto de Espelhos

Amazon – Labirinto de Espelhos

Bjinhos e até a próxima 😉