Resenha – O Último Homem do Mundo (Taís Cortez)

capaLivro: O Último Homem do Mundo
Autor:  Taís Cortez
Editora: LER Editora
Páginas: 223
Estrelas: 4/5

Sinopse:

Amanda é uma garota rebelde e problemática. Filha de Patrícia Oliveira, uma atriz mundialmente famosa, ela se ressente do comportamento da mãe, que trabalha demais e dedica seu pouco tempo livre para namorar. Depois de ser expulsa dos três últimos colégios, Amanda é matriculada contra sua vontade no Educação de Elite, o colégio interno mais renomado do país, onde apenas os filhos da elite nacional estudam. Determinada a conseguir mais uma expulsão, ela é capaz das maiores loucuras, mas seus planos acabam sendo frustrados por suas colegas de quarto, por uma inspetora intrometida e um diretor paciente. Lá ela também conhece Ricardo, o garoto mais popular e mulherengo do colégio. A atração entre eles é imediata, mas isso não impede que se odeiem ferozmente e que façam de tudo para prejudicar um ao outro. No entanto, o destino os forçará a unirem forças por um bem maior, e Amanda perceberá que, às vezes, o último homem do mundo de sua consciência pode ser justamente aquele que seu coração decide escolher.

Resenha:

As primeiras páginas de um livro normalmente definem a leitura, isso acontece de vários aspectos, pelo menos comigo, com esse livro a narrativa me cativou desde o início, o que foi e é crucial para que eu consiga terminar um livro, pois bem, O último homem do mundo possui uma narrativa leve, simples e prazerosa de ser lida, as páginas fluem rapidamente sem que você se dê conta de que o tempo está passando.

A abordagem inicial, da garota rebelde, me parecia, de inicio, que se tornaria um livro clichê, a garota com problemas familiares superficiais que faz de tudo para chamar atenção dos pais, mas, e eu adoro dizer isso: mas… fui totalmente surpreendida, temos muitas coisas diferentes no livro, como: romance adolescente (para quem gosta), problemas familiares, problemas sociais, identificação do seu papel como individuo dentro da sociedade, poder da amizade e a força de uma conversa franca.

Todos os temas são abordados de forma natural na narrativa, nada parece ter sido jogado dentro da história, até mesmo o final, que te deixa com gostinho de quero mais, só que tudo na medida certa.

Pra mim, uma boa história tem que saber dosar as coisas, não pode ser igual novela que só conta tudo no último capítulo, mas também não pode contar tudo de uma vez, os fatos tem que fluir, acontecer, de norma natural.

A Taís conseguiu me encantar de verdade com esse livro, a escrita é maravilhosa, o tema, os personagens e a critica social, mesmo que eu quisesse mais da parte social, entendo que nesse livro não faria sentido, mas de qualquer forma foi incrível ler que ela conseguiu dentro de um romance colocar algo que nos faça pensar no próximo, analisar nossas vidas e os reais problemas que vivemos.

Estive com um “bloqueio” quanto a resenhas, perdi a conta de quando postei a última aqui no blog, mas terminei o livro a pouco, e senti uma vontade imensa de falar o que eu achei, porque quando a gente gosta de verdade de algo, quer que todo mundo saiba, independente do que seja, é sempre assim.

Não sou louca por romances adolescentes, mas esse com toda certeza do mundo esse tem seu lugar especial no meu coração.

“… – Pessoas comuns falam sobre pessoas. Pessoas extraordinárias discutem ideias. Pessoas comuns pensam em si mesmas.  Pessoas extraordinárias querem mudar o mundo. Pessoas comuns se cansam quando os obstáculos aparecem. Pessoas extraordinárias encontram forças quando todos já desistiram…”

Sobre a Edição:

Gostei muito da edição, principalmente a diagramação que é P E R F E I T A nenhum pouco cansativa, a capa é bonita e as folhas são muito boas, vale a pena. 

Anúncios

8 comentários sobre “Resenha – O Último Homem do Mundo (Taís Cortez)

  1. Ferrrrrrrr
    Adorei a resenha!!!
    Primeiro, por vc ter se surpreendido com a história. O último homem do mundo recebe bastante esse tipo de comentário kkkk o leitor começa achando que será um romance clichê e acaba encontrando muito mais!
    Segundo, pelo seu comentário sobre todas as coisas terem ocorrido de maneira natural e na dose certa. Acho isso super importante. Não gosto de cenas ou acontecimentos forçados.
    Terceiro, por ter conseguido quebrar seu bloqueio em escrever resenha rss
    Fico muito feliz q tenha gostado da minha escrita, do enredo e por ter se encantado com a história a ponto de sentir essa vontade de contar a todos como se sentiu! rs
    Obrigada pelo carinho!!!
    Bjsss e sucesso ao blog!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Oooi! Estava com saudades de ler suas resenhas. Bom, tenho lido muitas críticas boas sobre este livro, e achei a capa linda, claro. E a melhor parte da sua resenha fora justamente esta: “Pra mim, uma boa história tem que saber dosar as coisas, não pode ser igual novela que só conta tudo no último capítulo, mas também não pode contar tudo de uma vez, os fatos tem que fluir, acontecer, de norma natural.” EXATAMENTE! Eu concordo com sua opinião, e piro quando isso ocorre nos livros que leio. Parabéns pela resenha, e que mais venham ❤ Beeijos.
    http://www.thoughtsandadventures.com.br

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s